quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

BALANÇO GERAL 2010

Fazendo um balanço geral sobre 2010, a conclusão que chego, é a de que foi um ano bom. Com alguns desencontros, tombos e choros... Mas, foi um ano bem vivido, de muito trabalho, ótimos projetos e novas experiências. Confesso que não me arrependo de quase nada rss, talvez me arrependa de mais uma vez ter insistido em algo que no fundo sabia que não ia acabar bem, mas, porque não acreditar mais uma vez? Eu acreditei sim, e daí? Fiz o que meu coração mandou e deixei a razão de lado, pura emoção, afinal se agisse diferente, não seria eu! E arrependimento, talvez não seja a melhor palavra, acho que perdi tempo demais chorando e esperando e não tomei as rédeas da situação. Mas, não vou me fazer de coitadinha também tive medo e contribui para que essa história mais uma vez se tornasse "a crônica de uma morte anunciada " que por fim acabou. Se estou 100%? Ainda não, mas vou ficar...

Como diz o mestre Cartola: Preciso ir, preciso andar, vou por ai a procurar... Preciso viver um amor novo, sem mágoas, sem ressentimentos, um amor que me mande flores, que me conheça , me surpreenda e principalmente me aceite assim, como eu sou... E se for pra mudar que seja porque eu quero e não porque ele acha melhor.

Esse ano como nos outros listei algumas metas alcançáveis, desta vez e espero cumpri-las, mas não quero fazer como 90% da população que acha que o ano novo vai chegar e vamos entrar em uma cabine e como num passe de mágica todos os problemas se resolverão e vc será uma nova pessoa. Isso não vai acontecer, mas, acredito que o ano novo nasce em cada um de nós e que as mudanças que esperamos tem que começar por nós mesmos, deixe-se em paz, se cobrando menos, percebendo que não somos super-homens e super-mulheres somos apenas humanos lutando para ser felizes, amados e reconhecidos.

Meu desejo para 2011 para cada um dos meus amigos, inimigos (se é que tenho algum) e familiares é façamos com que 2011 seja um ano em que vamos tentar sempre fazer o melhor assim como já fazemos e vamos ser felizes e desfrutar dos pequenos prazeres da vida.

Finalizo com um texto da Martha Medeiros, um 2011 repleto de tudo o que cada um desejar do fundo do coração.

Beijos

MARTHA MEDEIROS - Deixe-se em paz

Geralmente é o que se deseja intimamente: paz para o mundo, paz para todos, paz para os torcedores, paz para os moribundos, paz para os iraquianos. É um desejo legítimo, mas qual a nossa contribuição prática para ajudar a construir uma serenidade universal? O máximo que podemos fazer é garantir nossa própria paz.
Portanto, esses são os meus votos: deixe-se em paz.

Parece uma frase grosseira, mas é apenas um desejo sincero e generoso. Deixe-se em paz. Não se cobre por não ter realizado tudo o que pretendia, não se culpe por ter falhado em alguns momentos, não se torture por ter sido contraditório, não se puna por não ter sido perfeito. Você fez o melhor que podia.

Aproveite para estabelecer metas mais prosaicas para o futuro que virá, ou até meta nenhuma. Que mania a gente tem de fazer listinha de resoluções, prometer mundos e fundos como se uma simples virada de ano bastasse para nos transformar numa pessoa mais completa e competente. Você será o que sempre foi — e isso já é muito bom, pois presumo que você não seja nenhum contraventor, apenas não consegue dar conta de todos os seus bons propósitos, quem consegue? Às vezes não dá. Vá no seu ritmo, siga sendo quem é, não espere entrar numa cabine e sair de lá vestido de superhomem ou de super-mulher. Deixe de fantasias.
Deixe-se em paz.

Se quer tomar alguma resolução, resolva ajudar os outros, fazer o bem, dedicar-se à coletividade, seja mais solidário. Não deixe os menos favorecidos na paz do abandono, na paz do esquecimento. Mas esquecer um pouco de você mesmo, pode. Deve. Não se enquadre em comportamentos que não lhe caracterizam, não se enjaule por causa de decisões das quais já se arrependeu, não se arrebente por causa de questionamentos incessantes.

Liberte-se desses pensamentos todos, dessa busca sofrida por adequação e ao mesmo tempo por liberdade. Nossa, ser uma pessoa adequada e livre ao mesmo tempo é uma senhora ambição. Demanda a energia de uma usina. Será mesmo tão necessário pensar nisso agora? Deixe-se em paz.

Não dê tanta importância à melhor roupa para vestir, à melhor frase para o primeiro encontro, às calorias que deve queimar, à melhor resposta para quem lhe ofendeu, às perguntas que precisa fazer para se autoconhecer.

Chega de se autoconhecer. Deixe-se em paz.

No fundo, estou escrevendo para mim mesma.

Não me deixo em paz. Estou sempre avaliando se agi certo ou errado, cultivo minhas dúvidas com adubo e custo a me perdoar. Tenho passe livre para o céu e também para o inferno. Preciso me deixar em paz, me largar de mão, me alforriar.

Só falta alguém ensinar como é que se faz isso.

2 comentários:

Filipe Albuquerque disse...

YES! Paz para todos!

Le disse...

Na verdade, esse comentário não foi do Filipe, foi meu!